fevereiro 22, 2024
PMFS - Carnaval - Micareta de Feira 2024

Comitê de Crise apresenta balanço; índice histórico indica volume de chuva raro a cada 50 anos

 Comitê de Crise apresenta balanço; índice histórico indica volume de chuva raro a cada 50 anos

Reunião de avaliação realizada na manhã deste domingo

O Comitê de Gerenciamento de Crise se reuniu na manhã deste domingo (28) para realizar uma avaliação do plano de ação executado para amenizar os efeitos das chuvas torrenciais que atingiram o município desde a tarde de sexta-feira (26). O encontro aconteceu no gabinete do prefeito, no Paço Municipal Maria Quitéria, e também teve a participação de representantes do Corpo de Bombeiros. Em um período de menos de 24h, Feira de Santana registrou 145 mm de chuvas – conforme índices históricos, este volume de precipitação dentro deste intervalo de tempo ocorre no município a cada 50 anos.

Participaram da reunião representantes de 11 secretarias municipais. O encontro foi conduzido pelo secretário de Desenvolvimento Social, Denilton Brito. Ele relatou que as ações de sua pasta se concentraram na oferta de vagas nos abrigos e aquisição de passagens para pessoas em situação de rua oriundas de outras cidades. “Algumas dessas pessoas com problemas de fala de documentação, o que dificulta o embarque, mas estamos providenciando solucionar para dar agilidade e inclusive abrir vagas nos abrigos”, salientou.

O superintendente municipal de Operações e Manutenção, João Vianey, observou que a SOMA implementou medidas preventivas, como manutenção nas redes de macrodrenagem e microdrenagem e monitoramento de pontos críticos desde terça-feira, quando foi iniciado o período chuvoso. “Intensificando-se com o pico de chuva na sexta-feira. Operações extraordinárias foram realizadas, incluindo monitoramento noturno da cidade”, pontuou.

Ele ressalta que problemas localizados foram identificados, como erosões em diversos distritos e ocorrências recorrentes em pontos críticos urbanos. “Os bairros e distritos mais atingidos foram mapeados, problemas em regiões como o distrito de Maria Quitéria, Humildes, na zona urbana a lagoa do Chico Maia, no bairro Parque Ipê, localidades como a Rua Jandaia, Portuguesa de Desportos, bairros Conceição, Santo Antônio dos Prazeres, Rua Nova e Calumbi. A equipe está avaliando o impacto das chuvas, incluindo uma ocorrência mais complexa na região do conjunto Feira VII, zona sul da cidade, que exigirá um estudo específico”, apontou Vianey.

O secretário de Serviços Públicos, Eli Ribeiro, observou que as principais demandas foram referentes a quedas de árvores. “Felizmente, nenhum caso com gravidade em relação a acidentes envolvendo pessoas. As equipes estão em campo e seguindo o cronograma para atender a todas as ocorrências”, pontuou. A secretária de Saúde, Cristiane Campos, informou que não houve aumento considerável nas demandas de UPAS e policlínicas municipais por conta de alagamentos ou acidentes em decorrência das chuvas.

O superintendente de Trânsito, Cleudson Almeida, salientou que desde a tarde de sexta-feira as equipes de agentes de trânsito estão de prontidão, bem como os técnicos que atuam na manutenção de semáforos. “Não registramos problemas relacionados ao trânsito no centro da cidade”, ressaltou.

O tenente-coronel do Corpo de Bombeiros, Adriano Bertolino, revelou que em decorrência das chuvas em Feira de Santana, o órgão realizou seis atendimentos desde o início da semana, sendo quatro somente neste sábado. “Essas ocorrências envolveram alagamentos nos bairros Tomba, Baraúnas e Mangabeira, afetando pessoas, especialmente idosos ou cidadãos com problemas de saúde”, declarou.

A coordenadora municipal da Defesa Civil, Ana Karolinna Rebouças, informou que os maiores problemas foram relacionados a alagamentos, sem registros de pontos de deslizamentos no município. “A gente vem orientando as pessoas a deixarem suas residências, onde há alagamentos, para evitar contaminação ou acidentes com rede elétrica. Em algumas situações há resistência por parte dos cidadãos em deixar os imóveis, mas estamos atuando no sentido de garantir a segurança de todos”, destacou.

Também participaram da reunião do Comitê de Crise os secretários municipais: Wilson Falcão (Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico), Eliene Cerqueira (Habitação), Moacir Lima (Prevenção à Violência), Carlos Brito (Planejamento), Renata Maia (Comunicação Social), além de Luiz Carlos Santana, chefe de gabinete da Secretaria Municipal de Agricultura e Recursos Hídricos.

Secom- Foto Ordachson Gonçalves

Whatsapp
Olá
Olá, podemos ajudar?